Diretoria da Afojus/Fojebra se Reúne em Brasília.

Diretoria da Afojus/Fojebra se Reúne em Brasília.

A Diretoria da Associação Federal dos Oficiais de Justiça do Brasil-Afojus/Fojebra, se reuniu na sede da entidade, Brasilia-DF, nos dias 18 e 19 para diversas deliberações em prol da categoria. Foram traçadas novas estratégias para o aprimoramento do cargo a nível nacional. Atualmente a categoria dos Oficiais de Justiça está passando por momentos sombrios em diversos estados da federação. Segundo o presidente da entidade, Edvaldo Lima, apesar do momento difícil, as entidades devem buscar inovações para o aprimoramento da função. “Devemos aproveitar esse momento para transformar e ascender a categoria dentro do cenário jurídico, o poder judiciário tem a obrigação de reconhecer o Oficial de Justiça, como essencial para o bom andamento da justiça”. Em alguns estados, ao contrário do Tocantins, os tribunais estão investindo na categoria e o resultado é espetacular, explicou Cícero filho, Sindojus-AL. Mário Neto, presidente da Aojesp, citou alguns projetos desenvolvidos pela entidade que está aprimorando a categoria no estado de São Paulo. Marcos Albuquerque, informou que em Pernambuco está sendo implementado um núcleo de inteligência operacional, que facilitará o trabalho dos Oficiais e dará uma nova performance funcional à categoria. Gustavo Macedo, Sindojus-AL, informou que em Alagoas, o núcleo de inteligência já está implantado, e em breve entrará em funcionamento. Mário Rosa, diretor do Sindojus-Pa, declarou que o novo projeto de lei que trata das diligências dos Oficiais de Justiça do Pará, será um divisor de águas, pois além do reajuste no valor das diligências, os Oficiais passarão a ser peritos judiciais e leiloeiros e estas novas atribuições, serão remuneradas. Luiz Cláudio, Sindojus-RR, informou que em seu estados os Oficiais de Justiça, estão contemplados com uma lei de diligências que preenche os anseios da categoria. Juliano Bezerra, declarou que no Rio Grande do Norte, os Oficiais de Justiça conseguiram manter algumas gratificações, que tempos atrás o TJRN, tentou retirar, sendo que o Sindicato está buscando um novo plano de cargos e salários para a categoria. Joselito Bezerra do Sindojus-PB, informou que o sindicato sediará um encontro regional em breve, e que a entidade tem prestado todo o auxílio à categoria. Marieda, Sindojus-AM, informou que o sindicato tem combatido de forma enérgica as tentativas de extinção do cargo. Fernanda Protasio, informou que o Sindojus-MA, aprimorou a central de mandados. James Cley, Presidente do Sindojus-AC, informou que o sindicato, apesar de novo, trouxe diversas inovações para categoria e agradeceu a contribuição que a Afojus/Fojebra tem dado aos Oficiais de Justiça acreanos. Arno Boss, presidente da Assojepar, informou os avanços que a categoria tem tido, e que em breve os Oficiais do Paraná serão contemplados com um novo perfil. O Sindojus-BA e Sindojus-AP, devido compromissos institucionais, não participaram da assembleia. Guilherme Monteiro, Vice Presidente da Assojafe 15, informou que a entidade tem desenvolvido projetos pilotos no TRT, que os resultados já são visíveis. Feito os informes gerais e dada a palavra aos diretores, o presidente da Afojus afirmou que é notável o quanto as entidades filiadas avançam em prol da categoria. Passando a deliberar a pauta, foi submetida à votação a participação da Afojus no evento que ocorrerá na cidade de Goiânia, CONOJUS, promovido pelo Sindojus-GO. Por unanimidade os diretores decidiram que a Associação Federal não participará do evento, inclusive as entidades filiadas e seus diretores, visto que o sindicato anfitrião colaborou para a ação judicial, promovida pela Fesojus, que tentou retirar a legitimidade da Afojus/Fojebra junto à Justiça do Trabalho, assim como outros eventos, que além de expor, desagregam a categoria. Edvaldo lembrou que o problema por vezes não é como Sindojus-GO, mas com a entidade na qual ele é filiado. Marcos Albuquerque perguntou sobre a participação da Vice Presidente do Sindojus-Pa, Asmma Abdualah no evento. Edvaldo Lima explicou que Asmma não é diretora da Afojus, que há muito tempo não participa de eventos no Sindojus-PA, sua participação no encontro goiano é de cunho pessoal, e que a mesma não tem autorização para falar em nome do Sindojus e muito menos pela Afojus. Sobre o evento internacional, promovido pela Fenassojaf, que acontecerá em Brasília nos dias 04 e 05 de abril, foi aprovada a participação da Afojus por unanimidade, inclusive colaborar no que for preciso. Apesar dos diretores terem deliberado 35 itens na referida assembleia, a Diretoria optou por não divulgar, para evitar que outras entidades usurpem projetos, e por falta de competência ou conhecimento os tornem inviáveis, como aconteceu com a PLC 030 e a intervenção no TJTO. Por fim, Edvaldo Lima agradeceu a participação de todos, lembrado que a Afojus está aberta para novos filiados, que tenham de fato compromisso com a categoria e a entidade. “Não temos diretores, mas uma irmandade”.

administrador@pa

Fechar
Fechar

Digite seu nome de usuário ou endereço de e-mail. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.

Fechar

Fechar